Amazon Prime Video - Contrato Perigoso (The Contractor)

6/01/2022 01:08:00 AM |

Para funcionar perfeitamente um longa de ação e suspense precisa de seguir dois caminhos bem distintos que às vezes algum diretor maluco resolve juntar que é várias reviravoltas insanas que impactam demais tudo o que vamos conferindo, ou por mil tiroteios, explosões e ações diversas que acabamos nem ligando para tudo o que está rolando na história, e seguimos até o fim nos divertindo com toda a intensidade da trama. Pensando dessa forma diria que o longa "Contrato Perigoso" até tem uma reviravolta interessante, e conta com algumas cenas intensas de tiroteios, mas ficou parecendo faltar algo a mais na história para nos convencer das atitudes dos personagens principais, que acaba ficando bem no ar para quem o grupo trabalha, quais são as reais intenções, para onde a dinâmica pretende ir, e assim quando conferimos ele apenas vemos todas as dinâmicas sem grandes ápices, o que é estranho demais. Ou seja, a todo momento parece faltar algo que seja realmente determinante sem ser que o protagonista está desempregado do exército, precisando de grana, e aceita ir numa empreitada maluca que vira uma tremenda caça depois, então quem aceitar isso vai até gostar do resultado, mas quem pensar um pouco além da caixa vai ficar esperando uma ligação extra na última cena.

O longa nos mostra que o sargento das Forças Especiais James Harper é involuntariamente dispensado do Exército e cortado de sua pensão. Em dívida, sem opções e desesperado para sustentar sua família, Harper entra em uma força militar clandestina privada. Quando sua primeira missão dá errado, o soldado de elite se vê caçado e fugindo, preso em uma perigosa conspiração e lutando para permanecer vivo o tempo suficiente para chegar em casa e descobrir os verdadeiros motivos daqueles que o traíram.

Não digo que o filme que vi seja algo ruim, sendo algo até que interessante a dinâmica criada pelo diretor Tarik Saleh, porém como já disse faltou para ele uma concisão de alguns atos mais expressivos, e talvez desenvolver um pouco mais o grupo antes da missão, pois quase nem somos conectados diretos à fazenda, conhecemos os personagens ali de uma forma breve e sem muito chamariz, e todo o sequencial acaba parecendo jogado na tela, ou seja, se fossem brucutus os protagonistas poderíamos até dizer que é uma versão do filme "Os Mercenários", mas como temos rostinhos mais calmos a trama acabou parecendo algo menos explosivo realmente, aonde talvez até sintamos um pouco de pena de alguns ali, mas sem grandes traquejos para uma história realmente acontecer. Ou seja, é daqueles filmes que até curtimos pela boa pegada, mas que amanhã talvez esqueçamos que vimos ele, e isso não é algo que faça valer o trabalho de um diretor, pois é notável que algumas cenas tiveram até uma grandiosa produção, mas como já falei outras vezes: sem uma boa história nada funciona direito, a não ser que seja apenas explosões, o que não é o caso aqui.

Sobre as atuações posso afirmar que Chris Pine deu um bom tom para seu James Harper, de forma que se entregou para as dores da perna em diversos atos, mostrando uma realidade de quem tem o joelho destruído, fez cenas bem intensas e marcou olhares com nuances boas para os diversos momentos que o filme tem, ou seja, se o roteiro fosse um pouco melhor ele acabaria fazendo algo incrível para aparecer melhor. Ben Foster trabalhou seu Mike num primeiro momento bem interessante, depois mudou completamente seu eixo, e finalizou de uma maneira meio confusa demais, não parecendo ter a mesma vontade de um soldado realmente, mas sempre concentrou força nos olhares e entregou boas cenas, ao ponto que até dava para ir mais além, ou quem sabe melhorar seu final, o que agradaria mais também. Agora Kiefer Sutherland tão acostumado a ter "24 horas" de aparições praticamente surgiu somente em três ceninha mixurucas aqui com seu Rusty, ao ponto que fez algumas caras e bocas e até serviu bem o papel de chefão, mas ainda não sei quem é ele no longa, e isso faz muita diferença para a trama funcionar por completo. Quanto aos demais a maioria apenas apareceu, desde a família do protagonista até os demais membros da equipe, tendo um leve destaque para Eddie Marsan com seu Virgil por entregar algum ato mais emotivo e bem desenvolvido no miolo, mas nada que surpreendesse realmente.

Visualmente o longa tem momentos bem interessantes na missão, por ter um ar investigativo inicial com muitas fotos, depois um laboratório simples até que demais para tudo o que estava sendo pesquisado ali, uma segurança pífia demais, e uma invasão inicialmente bem orquestrada que vira uma bagunça completa na saída, depois alguns bons atos no esgoto, um hotel simples, mais cenas no esgoto bem feitas, muitos tiroteios com armas de todo estilo, uma perseguição casual, e outra invasão absurda de besta quase sem seguranças aonde os cachorros desaparecem e aparecem, e nada é muito mostrado, ao ponto que a equipe de arte até tentou mostrar um pouco a mais, mas falhou bem.

Enfim, é um filme com muitos altos e baixos, com falhas absurdas e cenas bem trabalhadas, aonde ficamos com a dúvida se realmente entendemos todo o processo ou deixaram tantas brechas para reclamarmos do que vimos, e assim sendo volto a frisar que não é algo ruim de ver, só que poderia melhorar imensamente para que tudo fosse mais realista, o que é pedir demais para uma trama de ação. Sendo assim fica a dica para ver ele sem pensar em nada, apenas curtir cada ato, que aí a chance de reclamar é menor, mas duvido que alguém gostará 100% do que verá na tela. E é isso meus amigos, eu fico por aqui hoje, mas volto em breve com mais textos, então abraços e até logo mais.


0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado por comentar em meu site... desde já agradeço por ler minhas críticas...