xXx: Reativado em Imax 3D (xXx: Return of Xander Cage)

1/19/2017 02:49:00 AM |

Se você for assistir algum filme de ação sem limites esperando ver um roteiro fantástico ou qualquer tipo de dramaticidade introspectiva, você não pertence a esse mundo, pois o que todos querem ver é tudo sendo destruído, muita correria, tiros e explosões para todo lado, muita paia em cenas improváveis, mulheres (e claro o protagonista) sensualizando com pouca roupa, piadas bem encaixadas, e claro se o filme for 3D que a tecnologia surpreenda ao máximo. E se você quer ver todas essas qualidades em um único filme, vá para o cinema conferir "xXx: Reativado" na maior sala possível, pois o filme faz valer cada momento colocado, criando diversas possibilidades para continuações, e o melhor, colocando personagens antigos conectando momentos e referências de diversos outros filmes, claro também usando excelentes novos personagens. Ou seja, é diversão na medida certa para quem quiser um bom programa de ação nos cinemas.

O longa nos mostra que Xander Cage desiste de sua aposentadoria quando entra em conflito com o guerreiro Xiang e seu grupo. Os dois se enfrentam em uma corrida desenfreada para recuperar uma poderosa arma, conhecida como "Caixa de Pandora". Após recrutar um novo grupo de soldados em busca de emoção, Xander se envolve em um plano mortal que aponta para uma conspiração nos mais altos níveis dos governos mundiais.

Não diria que foi uma grande fonte de inspiração, mas certamente o diretor D.J. Caruso resolveu juntamente com o roteirista F. Scott Frazier, que não bastava ser apenas mais um filme de ação com manobras radicais como aconteceu na continuação de 2005, em que praticamente a franquia desabou de um excelente filme para algo que praticamente todos odiaram, e ao ver nesse meio tempo a franquia "Mercenários" mostrando muita diversão com ação descontrolada, teriam de seguir uma linha nesse estilo. E certamente a palavra controle não existiu no vocabulário do diretor, pois quanto mais improvável uma cena pudesse ser, lá estava ele colocando seus protagonistas no meio atirando (vide a cena com os protagonistas num depósito com tantas armas quanto pudéssemos imaginar - completamente insana), correndo (veja a cena no meio dos carros - loucura completa), voando sem gravidade (vide a cena do avião - maluquice nível épico) ou até mesmo apenas com uma moto completamente turbinada no meio de uma floresta, aonde terra voa para todo lado com o ótimo 3D. A grande sacada do longa foi sim ter uma base na história, mas nada de muito complexo e que nem vai surpreender pelo desenrolar da trama, mas que amarra bem as pontas (o que é de suma importância), mas sim todo o conteúdo estético que a tecnologia proporcionou para ter um ritmo incrível e que o elenco estivesse disposto a trabalhar bem para todas as cenas parecerem o mais reais possíveis (mesmo que fossem feitas por dublês). E sendo assim, saiu feito uma locomotiva desenfreada botando tudo no miolo desse contexto de uma forma bem divertida, carismática e gostosa de curtir.

Quanto do elenco, podemos dizer que foram bem escolhidos de acordo com as qualidades de cada personagem, e todos acabaram bem encaixados para suas diversas cenas de ação, e claro que com um bom carisma representaram bem as piadas também que seus personagens acabam caindo. Se no começo da carreira de Vin Diesel me falassem que ele soaria como alguém que sensualiza e que as mulheres ficariam apaixonadas por ele, diria que essa pessoa ficou maluca, mas com o passar dos anos, o ator já mega milionário tem trabalhado seu carisma e forma de interpretar de uma maneira tão cafajeste e bem montada que praticamente todos seus personagens estão sendo moldados em cima disso, e ele faz bem todo esse charme com seu Xander Cage, mas muito além desse mote, o ator mostrou um desempenho perfeito nas cenas de ação que remontam a veracidade original da franquia que nasceu há 15 anos, e que com a desenvoltura criada aqui, pode certamente vir outros longas (que inclusive já confirmaram um quarto filme) que não farão feio nas bilheterias se depender do ator. Montaram tanto a personalidade de Toni Collette com sua Jane que chega a ser assustador suas expressões faciais (está parecendo que foi colocada no formol ou algo do tipo), e embora não seja a personagem mais importante da trama, merecia um pouco mais de cuidado com armas e porte, pois na sua cena com uma arma na mão não convence de forma alguma, e é motivo de riso. Em compensação Ruby Rose mostrou-se impactante tanto na postura (a qual defende muito bem) quanto no estilo empregado para que sua Adele Wolf fosse os olhos do protagonista fora do enquadramento que estivesse posicionado, e a atriz caiu tão bem no papel, que chegaria ser interessante um filme só seu talvez. Samuel L. Jackson é Samuel L. Jackson, e não preciso falar mais nada dele, pois se você já viu um filme dele, viu todos, já que assume sempre a mesma personalidade, e claro que não faria diferente com seu Gibbons. Do lado da equipe de Diesel ainda temos de pontuar as boas cenas divertidas de Kris Wu com seu Nickse Rory McCann com seu Torch, pois a dinâmica dos dois foi incrível. Já pelo outro lado, temos de pontuar a beldade indiana Deepika Padukone com sua Serena que além de um charme sedutor conseguiu trabalhar bem a interação com os demais personagens, a loucura incondicional de Donnie Yen com seu Xiang desenfreado para todas as cenas, e claro o lutador de MMA Michael Bisping botando todos no chão com seu Hawk, ou seja, se não fosse pelas cenas forçadas do maluquete Tony Jaa, seria uma equipe bem bacana também de acompanhar. Mesmo dando um leve spoiler, a aparição de Ice Cube veio como um bom acerto na produção, para mostrar que não guardaram rancores e ressentimentos para com seu Darius Stone do segundo filme. E claro, temos de falar da primeira atuação hollywoodiana de Neymar Jr. que fazendo ele mesmo acabou sendo uma boa piada, e não chegou a decepcionar nas poucas cenas.

Agora sem dúvida alguma o grande show da trama ficou a cargo da equipe de arte, pois como bem sabemos, uma produção cheia de destruição deve ser o mais realista possível, e com isso gastar muitos milhões de dólares, e claro que a equipe levou o longa para países mais "baratos" como República Dominicana, Filipinas, e deixou algumas poucas cenas para serem rodadas mais fechadas em Londres, o que não menosprezou o tamanho da produção, muito pelo contrário, pois o colorido interessante da produção nos pequenos países se tornou mais cinza ao cair na Europa, o que agrada também, mas dá um belo contraste cênico para as cenas que saem de planos abertos bonitos, para locais mais fechados e duros. Além disso, claro que muito digital também foi usado, principalmente nas cenas dentro do avião, para que tudo pudesse ficar do jeito que acaba ficando nas cenas finais, mas ainda assim, precisaram trabalhar bastante com diversos elementos cênicos para agradar em todas as cenas, e claro também muitas armas de todo tipo possível e imaginável. Como já disse, as boas escolhas de locações deram diversos tons para a equipe de fotografia trabalhar, e por mais incrível que possa ser, eles souberam dosar bem as cenas, para que a tecnologia usada para filmar funcionasse bem no resultado final, então temos um longa bem colorido que chama a atenção e não destoa da ação que se propõe. E claro, a velha pergunta: vale ver em 3D? Sim, e muito, pois o longa foi praticamente inteiro filmado com câmeras 3D, e pensado desde 2011/2012 quando se começou a falar numa continuação para ser rodado com a tecnologia que James Cameron usou em "Avatar", ou seja, um realismo completo que chega quase a arremessar terra e diversos pedaços de coisas no público, além de ótimas profundidades nas cenas mais abertas, parecendo que os atores estão voando em nossa direção, e sendo assim, mostraram uma das utilidades da câmera para ser usada de forma criativa no cinema de ação.

Enfim, um filme de primeira linha, no conceito à que se preza entregar (muita ação, muita diversão) e que dificilmente quem estava esperando uma continuação da franquia sairá decepcionado com o que verá, principalmente pelos bons momentos frenéticos, e pelo bom uso da tecnologia com ângulos bem encaixados. Ou seja, um filme que recomendo com certeza para quem gosta do estilo, e para aqueles que irão ao cinema procurando uma boa dose de adrenalina com cenas mais improváveis possíveis de acontecer. Claro que o filme possui muitos defeitos, seja no roteiro simples, ou até mesmo na forma de atuar de alguns atores/personagens, mas volto a frisar que pela proposta vale demais a conferida no maior cinema que puder encontrar (no caso recomendo sim ver em Imax 3D). Bem é isso pessoal, deixo meus abraços até o próximo texto e fico por aqui hoje, agradecendo mais uma vez o pessoal da Difusora FM 91,3MHz pela sensacional pré-estreia inicial de 2017, incrivelmente lotada de amigos, e #TamoJuntoSempre.

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado por comentar em meu site... desde já agradeço por ler minhas críticas...