Netflix - The Last Runway (Leal, Solo Hay Una Forma de Vivir)

4/07/2019 07:42:00 PM |

Existem alguns filmes que mais se parecem com séries do que com filmes realmente, e o longa paraguaio "The Last Runway" ou "Leal, Solo Hay Una Forma de Vivir" é um desses, pois foi trabalhado com situações divididas, diversos personagens espalhados com diversas funções, várias quebras em cima de um único desmanche (ou no caso, a descoberta de como quebrar um cartel), que se fosse dividido em uma série policial funcionaria até melhor, mas aí esse Coelho acabaria não vendo. Mas felizmente não digo que não funcionou como cinema também, pois tem uma história bem amarradinha, porém com estilo quase novelesco entre os personagens, mas se posso elogiar algo, falaria das ótimas transições de situações escolhidas, pois com imagens se sobrepondo, montando a trama completa, o resultado até passa como algo razoável de assistir. Ou seja, um filme bem produzido, mostrando que nossos vizinhos possuem estilo para fazer algo bem elaborado, mas que poderia ter uma história menos necessitada de personagens, que fariam algo mais centrado, e aí certamente o resultado seria melhor.

A sinopse em si é bem simples, e nos conta que um ex-coronel paraguaio forma um grupo paramilitar especial focado no combate ao narcotráfico para proteger as fronteiras de seu país.

O trabalho feito pelos diretores Rodrigo Salomón e Pietro Scappini foi algo de primeira linha no conjunto de uma obra de grande porte, criando cenas aéreas, diversas infiltrações em mata, e principalmente muita inteligencia envolvida para tentar desestruturar um cartel, mas faltou para eles um roteiro menos floreado, aonde tudo pudesse rolar sem precisar criar atos novelescos, como relacionamentos, conversas familiares, e tudo mais que disperse a trama sobre a polícia e o tráfico, mas isso é algo comum de vermos em filmes do estilo você deve falar, mas sempre se suprimido o resultado acaba soando bem melhor, e aqui seria outro filme trabalhando esses detalhes. Não digo que isso tenha atrapalhado o resultado final, pois ao final me vi sentado prestando bastante atenção de como iria acontecer o fechamento da trama, e claro que como uma grande produção, esperamos algo a mais do que o que apenas aconteceu.

Sobre as interpretações, assim como vemos nas novelas argentinas e mexicanas, tivemos personagens exagerados, mas diria que todos ao menos foram condizentes com os personagens que foram escolhidos, o problema como disse é do roteiro que quis criar histórias paralelas demais. Dessa forma vale destacar apenas Luis Aguirre como Gorostiaga pela imponência criada, Andrea Quattrocchi como Betty pela desenvoltura de uma policial que não quer apenas ficar na sua mesa sendo inteligente, mas também atacando o caminho, e Felix Alberto Medina Ortiz com seu Ibañez cheio de vértices como capitão da missão. Mas não deixaria de lado todos os policiais secundários que foram divertidos e bem colocados, mas que poderiam ter se destacado mais pela história do que pelas personalidades bobas suas. E quanto dos traficantes, melhor deixar quieto, pois foram exagerados e bobos demais, pois sabemos que esses costumam ser bem mais imponentes, e Bruno Sosa Bofinger como Dante só gritou, enquanto Gonzalo Vivanco apenas faz caras e bocas com seu Salcedo.

Agora já disse isso, e volto a frisar, que no conceito artístico a equipe deu um belo show de técnicas, trabalhou locações precisas, e criou bons vértices, entregando uma boa central da polícia investigativa, uma festa de casamento de pompa, e claro boas cenas no meio da floresta, aonde cada momento foi criado e desenvolvido com situações engraçadas e bem colocadas, mostrando até a seleção dos integrantes da operação de uma forma inusitada. Além disso a equipe de edição brincou bastante com movimentos ágeis, criando boas sobreposições e dando dinâmica para o filme.

Enfim, está bem longe de ser daqueles filmes que recomendaria com muita certeza, mas também passa bem longe de ser uma bomba completa, valendo para passar um tempo, e ver uma boa operação policial, mas certamente poderiam ter trabalhado mais o texto para não ficar tão novelesco. Bem é isso pessoal, fico por aqui agora, mas volto em breve com mais textos, então abraços e até logo mais.

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado por comentar em meu site... desde já agradeço por ler minhas críticas...