Deadpool

2/13/2016 03:13:00 PM |

Bem pessoal, muita gente esperava por "Deadpool" há anos, e sempre que via algum amigo falando milhares de elogios aos quadrinhos pelo alto teor de zoeira e claro muitos palavrões ficava com um pé atrás se realmente um filme assim mais escrachado de super-heróis funcionaria, e hoje após toda a polêmica de censura 18 anos ou 16 anos, finalmente fui conferir, e já que os palavrões estão liberados o que posso dizer logo de cara que é um filme do C@R@1h0. Claro que basicamente tivemos uma apresentação completa do personagem, e certamente vamos ter muitos outros longas dele, mas a coisa mais concreta que podemos falar é que finalmente Ryan Reynolds conseguiu fazer um personagem dos quadrinhos com muita classe e apagou os dois vergonhosos papéis anteriores que fez. Dito isso, pegue sua pipoca e corra pro cinema mais próximo para descobrir quem é Deadpool e como esse cara que já era a zoeira em pessoa se tornou um mutante maluco mais zoado ainda, e se divirta bastante com muita certeza. E sobre a censura, felizmente o longa veio sem cortes, e com uma legendagem perfeita para todos os palavrões possíveis que já pensamos em ouvir em um único filme, ou seja, como realmente queríamos ver, mas devem ter moderação com os menores, pois a violência é forte e tem bastante sexismo, mesmo para quem está acostumado.

O longa conta a história da origem do ex-agente das Forças Especiais que se tornou o mercenário Wade Wilson. Depois de ser submetido a um desonesto experimento que o deixa com poderes de cura acelerada, Wade adota o alter ego de Deadpool. Armado com suas novas habilidades e um senso de humor negro e distorcido, Deadpool persegue o homem que quase destruiu sua vida.

O diretor Tim Miller pode ser um estreante na direção de longas, mas já foi indicado ao Oscar por um de seus curtas-metragens e trabalhou com efeitos especiais de diversos outros filmes e jogos, o que deu uma perspectiva única para o estilo que escolheu trabalhar em seu primeiro longa. Outra grande sacada do filme é que eles tiveram total liberdade criativa para colocar um rumo bem diferenciado do que estamos acostumados a ver nos longas baseados em quadrinhos, e isso fez com que tivéssemos grandes perspectivas com um roteiro divertido e completamente aberto à polemicas e claro com muitas referências à diversos filmes do Universo Marvel, aonde claro que as piadas funcionam demais para todos os fãs do gênero. E desse modo, mesmo a trama tendo todo um peso de impacto, afinal era um dos filmes mais esperados à muito tempo, já que Reynolds havia aparecido como o personagem no filme do Wolverine, mas com um visual completamente bizarro, o resultado geral acaba sendo fluído e acabou tendo um contexto bem interessante de ver. E claro que para ser um bom longa baseado em HQs, tivemos diversos efeitos especiais, que foram bem colocados nos momentos certos de escolha da direção e ainda pudemos contar com a melhor abertura de todos os tempos de filmes de um filme, falando exatamente o que esperaríamos ver num longa de heróis e ele agradar muito fazendo praticamente todo o inverso como uma grande piada.

Sobre as atuações, um fato que temos de dizer com certeza é que Ryan Reynolds caiu como uma luva para a ideia do personagem ser alguém irreverente, e claro que depois de muito falhar e ser severamente criticado por fãs de quadrinhos, agora ele mostrou que pode ser amado também, e isso certamente vai pesar nas continuações, pois seu Wade/Deadpool funcionaram bem e agradaram tanto na entonação dos diálogos quanto no estilo descolado de interpretar, e isso é o que esperávamos de um personagem com a mesma ideologia. A brasileira Morena Baccarin também agradou bastante como Vanessa nas poucas cenas suas, e mostrou claro que a sua beleza vale bem mais do que seu estilo interpretativo, agora assustei um pouco com o que li que a personagem também é mutante, então estou curioso para ver o que vem pela frente. O "vilão" Ajax interpretado por Ed Skrein ficou forte em termos de expressões, mas acredito que poderia ter mais força também na vilania, pois ser apenas um maluco que cria mutantes ficou um pouco jogado na tela e não convence muito toda a busca que o personagem faz em cima dele. Colossus e a adolescente missil até foram bem colocados na trama, sendo interpretados por Stefan Kapicic e Brianna Hildebrand, mas assim como Deadpool disse: "ficou claro que faltou grana para colocar mais mutantes fortes no filme", e isso é um fato que deva ser arrumado nos próximos. Gina Carano até chama atenção com sua Angel, pela força bruta e estilo mais rude, o que diferencia ela das demais mulheres da produção, mas convenhamos que é uma mutante bem esquisita de ver. Outros personagens secundários como taxista Doopinder, interpretado por Karan Soni, Weasel bem feito por T.J. Miller e Blind Al interpretada por Leslie Uggams também caíram bem para a trama, mas não tiveram oportunidade de dar um show de expressão, afinal aqui tudo era em cima da apresentação do protagonista.

É interessante ver como uma cenografia pesada e agitada da cidade, ficou bacana na telona, e isso acaba nos remetendo muito aos filmes do Homem Aranha. Além disso os lugares mais tensos da cidade foram bem trabalhados visualmente para que soubéssemos o estilo do filme, e dessa maneira, não pecaram em nada, principalmente por escolherem bem os elementos cênicos de cada cena em grande exagero, de modo que para onde quer que olhássemos na tela víssemos algum objeto para servir de arma, de referência ou até mesmo de inclusão no contexto da trama. No geral todos os efeitos foram bem colocados, porém o cenário da luta final ficou meio fora de contexto com a trama toda, pois o que parecia estar inserido no meio da cidade, de repente ficou completamente destruído e estranho demais, mas funcionou bem para a luta, e é isso que importa em filmes de heróis, então agrada. No conceito da fotografia, trabalharam bem com os tons das cores vermelhas para que contrastassem bem com cada momento, e sempre puxando as demais cores mais para o lado sombrio com tons pretos, acabaram envolvendo e chamando bastante atenção.

Outro show a parte ficou por conta da trilha sonora, que sempre trabalhando com músicas mais antigas, mas de estremo bom gosto, acabaram agradando em todos momentos que foram ouvidas, de modo que criou-se um clima meio que retrô para com o filme e isso é raro de vermos em longas de ação. Realmente ótimas escolhas para simbolizar o estilo sonoro que o filme pedia e claro que você pode conferir todas as músicas por esse link.

Enfim, é um excelente filme, que até poderíamos reclamar de alguns detalhes, mas foram concisos em não alongar muito o filme para funcionar como apresentação, e isso já agrada em metade do caminho, e claro que sempre muita comicidade agrada mais do que filmes tensos de ação e assim sendo o resultado foi incrível. Portanto com toda certeza recomendo a trama para todos, mas principalmente para os fãs de HQs que sempre ficam receosos com o que vão encontrar nas adaptações de seus personagens. Agora é aguardar as continuações, inserções dele nos X-men e nos demais filmes da Marvel, afinal vem aí "Guerra Infinita", aonde todos os heróis devem aparecer. Fico por aqui agora, mas volto em breve com a outra estreia da semana, então abraços e até logo.

PS1: a nota não foi máxima devido à faltar mais impacto em relação ao vilão, o cara até era forte e tal, mas seu estilo faltou para que ficássemos com raiva dele.

PS2: Os créditos sobem bem rápido, então nem 7 minutos e já temos duas cenas pós-créditos bem rapidinhas e bacanas, portanto fiquem na sala.


6 comentários:

Kaliel Nunes Abadessa disse...

Adorei a critica! Só um único problema, o Deadpool assim como os X-men e todos os mutantes são propriedade da Fox enquanto os Vingadores e seus derivados são da Marvel Studios/Disney, sendo assim de universos cinematográficos diferentes e por consequência não ha possibilidade desses personagens aparecerem em Gerra infinita por questões legais (a não ser que haja uma intervenção divina e a Fox ceda os direitos pra Marvel Studios/Disney). Mas compartilho da sua vontade de ver o Deadpool com os Vingadores.

Anderson Carvalho disse...

A trilha sonora foi excelente kkk
Excelente comentários!!

Fernando Coelho disse...

Pois é Kaliel!!! Vamos torcer, para que façam algum tipo de acordo comercial, afinal os estúdios hoje precisam de verba, e negociações sempre são bem vindas de parcerias comerciais! Já vimos isso acontecer algumas vezes, mas em números bem menores!! Vamos aguardar as novidades!! Abraços!

Fernando Coelho disse...

Com certeza Anderson, ótima trilha para se ouvir sem pensar!! Valeu pelo comentário! Abraços!

RoXStrondA disse...

Adorei o filme, simplesmente fantástico. Representou muito bem o DeadPool e não ficou com rodeios tentando esconder toda a essência "zoeiristica" do anti-herói. As unicas falhas que eu encontrei foram as CG's da Mansão X que estavam um pouco embaçadas e sem muita profundidade, tirando isso, pelo orçamento que foi proposto, o filme apresentou muita coisa boa, o que me fez vê-lo duas vezes no IMAX em semanas seguidas. Obviamente que o DeadPool é capaz de muito mais coisas que o filme passou, mas teremos que aguardar até a segunda parte.
Ótima analise Coelho! :D

Fernando Coelho disse...

Olá RoXStrondA, obrigado por curtir a análise!! Deadpool é o cara, e se nesse já havia toda uma expectativa de como iriam nos apresentar ele, agora sabendo o potencial nem quero imaginar como vai ser o próximo! Abraços!

Postar um comentário

Obrigado por comentar em meu site... desde já agradeço por ler minhas críticas...