As Aventuras dos Sete Anões (The Seventh Dwarf)

7/11/2015 07:11:00 PM |

Acho interessante quando outros países nos revelam um trabalho tão preciso nos cinemas como é com a gênero de animação, e se em alguns momentos o desacreditado filme alemão "As Aventuras dos 7 Anões" deixou a desejar, com toda certeza não foi na modelagem dos personagens e muito menos na criatividade da história que tanto já vimos em diversas versões, mas apenas na indefinição de se o longa era para crianças ou não, pois temos muitas cenas infantilizadas e divertidas, porém também temos algumas cenas com temática mais complexa, e isso acabou deixando o longa no meio do caminho. Mas como outros filmes às vezes pegam até mais pesado, o longa vale o ingresso, e certamente vai fazer a garotada se divertir com o resultado da trama com personagens carismáticos, boa interação e piadas bem colocadas. Só coloco o detalhe que não dublaram as canções, então aqueles que ainda não leem, talvez sofra um pouquinho, mas todas são bem bonitas. E outro detalhe é que o longa não veio em 3D para o interior, mas foi bem notável que temos diversas cenas com a dinâmica sendo utilizada, então quem tiver a oportunidade, volte aqui e comente se valeu a pena ver com a tecnologia.

A história nos mostra que a bruxa Dellamorta amaldiçoa a princesa Rose e todo o reinado ao sono de 100 anos. E isso acontece no aniversário de 18 anos da princesa quando um dos 7 anões espeta o dedo dela, por acidente. O lugar fica congelado também e só os anões podem consertar isso, procurando o príncipe Jack, pois somente o seu beijo em Rose poderá reverter o feitiço.

É bacana ver o trabalho de outras nacionalidades, ainda mais quando um ator renomado resolve virar diretor estreante resolve atacar justo no gênero, que particularmente, considero mais trabalhoso, e ao fazer um filme honesto com sacadas juvenis e trabalhando com uma modelagem bem coerente para os personagens, o alemão Boris Aljinovic conseguiu entregar um filme que diverte bastante e até chega a ser melhor que muitas outras besteiras que já vimos espalhadas por aí. Claro que acertar tudo num primeiro filme é algo quase que impossível e ele certamente viu que seu longa ficou oscilante demais no quesito de idade, pois temos umas pegadas mais próximas de adolescentes, como a festa de 18 anos da princesa e todo o lance amoroso, mas os personagens são bem infantis, e isso causa uma certa estranheza logo de cara, mas quem estiver disposto a curtir, certamente vai gostar do que verá. Outro detalhe importante é que não sei a data exata do roteiro, mas o filme de certa forma faz diversos plágios em relação à inserir outros personagens conhecidos dentro de um único filme, da mesma maneira que "Shrek" fez e isso é algo que ficou muito claro dentro da trama, então pode ser que os produtores mais para frente tomem algumas broncas, mas nós como bons curtidores de animações nem ligamos e divertimos com o que é passado, e com as situações que cada um faz ao passar pelo tapete vermelho.

Sobre os personagens principais, no caso os sete anões, Jack, Rose, Dellamorta e o dragão Brasa, podemos dizer que todos possuem de certa forma um carisma interessante e mesmo a vilã não chega a ser algo estranho de acreditar e até gostar dela. Os anõezinhos claro que deram mais destaque para o personagem Bobo que ao não saber amarrar os sapatos está sempre caindo e causando alguma confusão (e sua cena aprendendo a amarrar, foi a coisa mais infantil que já vi nas telas dos cinemas), e o personagem é bem convincente de emoções, o que não costumam colocar num protagonista de animações, ou seja, vemos ele com tristeza, depressão, alegria, felicidade e até bravo em alguns momentos, e isso foi um grande acerto da equipe. O mocinho da trama Jack poderia ter ficado amarrado o longa inteiro, pois só serve para quebrar o feitiço e mais nada, o que é de certa forma um desapontamento total. A dublagem ficou bem cômica, pois temos momentos que os dubladores soltam diversas gírias, e em outros momentos eles são completamente formais, e o melhor, sem motivo algum, ou seja, poderiam ter sido melhores dirigidos para fazer um trabalho melhor. E como já disse uma vez, animação sempre é voltada para as crianças, então se vai dublar, dublem tudo, largar as músicas em inglês com legenda certamente foi um tiro no pé, e embora tenham uma sonoridade bem gostosa, quem não conseguir ler, vai perder praticamente metade do filme.

Sobre o visual da trama, modelaram muito bem os personagens de modo que todos possuem formas interessantes e bem diferenciadas, além de cada um sendo trabalhado de uma cor diferente, faz com que o público se conecte com os personagens e com o visual passado, então isso funcionou bem para o resultado que a equipe certamente esperava. Os tons de azul escolhidos para retratar a tristeza e o congelamento dos personagens, também foi um luxo que deve ser muito bem observado e agradará certamente à todos que forem assistir. Como disse não veio cópia em 3D para cá, mas notei diversos momentos que o longa dá a tradicional acelerada de câmera para dar perspectiva de movimento no público e isso deve chamar a atenção de quem for ver com a tecnologia, além de muitas cenas que coisas são atiradas ao ar, o que certamente com a tecnologia voou para fora da tela.

Já que as canções não foram dubladas, deixo aqui os parabéns para a equipe musical original, pois as escolhas foram muito bem feitas, e as composições são de uma temática bem interessante de ouvir e agradar com o que é cantado, praticamente complementando o roteiro com o que foi preparado.

Enfim, é um longa que vale a pena conferir, e com poucos erros deve agradar quem for assistir. Claro que escolheram uma data chave de férias, mas ao pegar dois grandes filmes já rolando nas salas, talvez não chame tanta atenção dos pais que estiverem levando as crianças para os cinemas, mas é mais uma opção para conferir, e de certa maneira uma boa opção, tirando os detalhes que já citei acima. Bem é isso pessoal, fico por aqui hoje, mas volto amanhã com o longa do Festival Suíço, então abraços e até breve.


4 comentários:

BobRolha disse...

Não assisti o filme. Vi um video de um importante comentarista no youtube que o filme imitou frozen e que a computação gráfica é simples e plastica demais não fazendo juz a tecnologia atual.

Fernando Coelho disse...

Cara olá novamente... não tem nada a ver com Frozen!!! Talvez uma ou outra pitada de Shrek, mas tem seu jeito próprio e o filme se faz sozinho, afinal é de outro país e sempre vai pegar alguma ideia dos americanos... Mas fuja de comentaristas de youtube! Abraços!

Caka disse...

Nossa familia adorou !! sendo que em nossa casa é assistido em média 3 veses ao dia !!! (filha de 4 anos )

Fernando Coelho disse...

Olá Caka!! Realmente é um filme bem família mesmo!! A criançada nessa faixa de idade se diverte a beça com os personagens!! Mas ver 3x por dia é triste, mas ainda é melhor que 10x por dia da Galinha Pintadinha... rsss Abraços e boa sorte!!

Postar um comentário

Obrigado por comentar em meu site... desde já agradeço por ler minhas críticas...