Homem de Ferro 3 em 3D

4/26/2013 11:47:00 PM |

Sabe quando você é criança e espera um ano inteiro por um presentão no Natal, e quando chega a grande data você ganha apenas uma camiseta? Essa é a sensação que tive ao sair de "Homem de Ferro 3", pois mesmo sendo uma camiseta de marca chique, ainda continua sendo apenas uma camiseta, e o que esperava desse novo longa do super-herói é que chegasse pelo menos perto da sensação fabulosa que tive ao assistir "Os Vingadores", mas o que nos foi entregue é apenas um filme de mediano para bom que demora quase 100 minutos dos seus 130 total de duração para engatar uma ação mesmo e embora tenha colocado um dos  vilões mais ferrenhos da história dos quadrinhos do personagem, esse mesmo vira apenas um alívio cômico, utilizando uma palavra menos pejorativa para não dizer um palhaço nas telas. Não curto spoilers, então eu vou deixar apenas um aviso que vai principalmente para meus amigos que comem quadrinhos no café da manhã, a decepção será grande com o teórico vilão. Porém quanto ao real vilão do filme ele não decepciona em nada e sai muito bem em todas as cenas que aparece. No geral é mais um filme que fará seus milhões facilmente, mas que muitos que forem com sede ao pote como fui, poderão se engasgar com a pouca água que encontrarão.

O novo longa coloca Tony Stark/Homem de Ferro contra um inimigo sem limites. Quando Stark tem sua vida pessoal destruída, ele embarca em uma angustiante busca pelo responsável. Nessa jornada, a cada nova etapa, sua coragem será testada. Sem saída, Stark precisa sobreviver com seus próprios recursos, confiando na sua engenhosidade e instintos para proteger as pessoas próximas a ele. No contra-ataque, descobre a resposta para a pergunta que secretamente o atormentava: o homem faz a armadura ou a armadura faz o homem?

A história em si é bem conduzida, tem bons fatos políticos e humanos que não haviam sido tratados nos longas anteriores e dá uma boa continuidade para os fatos ocorridos inclusive em "Os Vingadores", mas acaba demorando demais para engatar uma boa sequência de ação e dinâmica, tanto que estava me dando até sono e ainda bem que não fui à pré-estreia senão não ia dar certo, quando começa pra valer a pancadaria e cenas de ação, inclusive quando começou isso fui obrigado a ver no relógio e como disse no primeiro parágrafo já tinha ido praticamente 3/4 do filme já e estávamos no fechamento, o que é uma pena, pois os efeitos especiais estão impecáveis e mereciam mais tempo de tela. Outro ponto que me incomodou muito foi o fato do vilão inicial que eu não sou de ler quadrinhos, mas meus amigos que leem haviam me dito que era o mega foda maior arqui-inimigo de Tony Stark pra ser escrachado na tela, ficou ruim demais, não pelo ator que está ótimo, mas pelo que acaba sendo. A direção em si, que não é o mesmo dos dois filmes anteriores, cai nas mãos de um diretor teoricamente inexperiente afinal é seu segundo longa apenas, que tenta conduzir o filme em sentido completamente diferente do usual e não sai satisfatório, criando apenas mais algo que será visto por milhões de pessoas apenas como continuação, mas que demonstra uma insegurança completa tanto do personagem quanto dos protagonistas, pois temos muitos personagens que poderiam ter sua história incrementada, mas somos apenas jogados no meio da trama sem que seja ao menos dito um porque real para eles serem assim, tendo mostrado meia dúzia de palavras que não servirão de contexto para o que fazem.

Falar das atuações num longa onde o elenco é estrelar é praticamente enaltecer todos, mas vamos aos detalhes. Robert Downey Jr. é e sempre será um ator fantástico que qualquer papel que caia em suas mãos será mostrado até a alma que ele consegue por para o personagem, nesse novo longa por usar menos a armadura conseguimos observar mais ainda sua boa atuação e seus trejeitos fantásticos que consegue fazer tanto para tirar risadas do público quanto para vermos em seu rosto toda a dor que sente ao levar uma porrada mesmo sendo bem forte, claro que qualquer um que levasse a surra que leva sem usar a armadura não garantiria que continuaria vivo. Gwyneth Paltrow saiu de seu casulo de apenas ser uma mulher bonita e par romântico de enfeite que aparece nos filmes anteriores para agora sim partir pra pancadaria e servir para algo no longa, seu final ficou bem bacana e mostrou que a atriz não está para brincar quando o negócio é atuar pra valer. Ben Kingsley está mais que perfeito, tanto fazendo cara de malvado nas gravações quanto nos momentos cômicos que participa, chega a ser se o filme fosse mais escrachado o melhor em cena, mas como deveríamos ter algo de mais ação e como já disse algumas vezes acima, seu personagem deveria ser completamente diferente. Outro que fazia tempo que não decolava um bom papel é Guy Pearce, que volta com tudo para a trama com dois visuais bem diferentes tanto que suas primeiras cenas nunca falaria que era ele, e agrada muito bem como vilão fazendo tantas maldades que chegamos a alguns poucos momentos odiá-lo, mas precisaria ainda um pouco mais de tempo de tela para ficarmos realmente irritados com ele. Alguém me diz onde colocaram as tantas cenas que Don Cheadle diz ter gravado? O seu personagem que teria tudo para aparecer bastante nesse filme acabou sendo ofuscado tão rápido que sua saída de mestre na cena final quase que sobe o Pernalonga com a frase "That's all folks"(ou aqui no Brasil: "Isso é tudo pessoal"). Jon Favreau, que foi o diretor dos outros dois filmes, volta com seu personagem Happy Hogan tendo momentos bem homenageados, mas que serviram apenas como homenagem mesmo ao que fez pela série, porque alguns momentos acabam sendo bem frustrantes das coisas que faz. Rebecca Hall deve ter ganhado uma nota para fazer seu personagem aparecer em três cenas e servir apenas de elo para alguns atos do vilão, ela é uma ótima atriz e poderia ter feito mais em cena, ficando apenas mediana.

O visual do longa está muito bem trabalhado e dessa vez contou com cenários grandiosos, todos bem prontos para servirem com os efeitos especiais de forma extremamente engenhosa, tanto que não observamos furos de contexto em imagem alguma e tudo é mostrado nos mínimos detalhes de cada elemento que exploda ou aparece em quadro. E esse incremento de elementos cênicos é bem visto também na quantidade de armaduras que temos disponível no longa, que mesmo Stark não estando sempre dentro delas, acabam tendo seus bons momentos de tela para todas e acabamos gostando de suas "atuações". A fotografia também trabalhou muito bem engajada para que tivéssemos muitas camadas de cores, dando a cada momento do longa uma textura diferente para o contexto que estava acontecendo ali. Agora a grande pergunta de sempre, o 3D vale a pena? A resposta é em letras bem maiúsculas "NÃO", pois além de ser convertido e não filmado usando a tecnologia, temos pouquíssimos momentos onde a profundidade sobressalta ou elementos que saiam voando em direção ao espectador, então se quiser economizar dinheiro veja em 2D tradicional que não irá perder nada.

A trilha sonora de Brian Tyler é bacana, mas diferente do que ele costuma fazer em outros filmes, aqui ela serviu apenas de apoio mesmo, não sendo responsável tanto pela condução e ritmo da história, o que poderia até ter sido melhor se tivessem usado mais ela no início e no meio para que não ficasse tão cansativo. No geral o que temos é bacana de se ouvir, mas poderia ter sido melhor empregada.

Enfim, já falei demais do longa, dei minhas opiniões e como disse no início esperava muito mais do filme, não estou falando que é ruim, muito pelo contrário como disse no quesito efeitos especiais está bem melhor que os demais, mas esperava muito dele e como costuma acontecer, na maioria das vezes, quando vamos sedentos por um filme acabamos, decepcionados com o que vemos e acabamos criticando mais do que enaltecendo as coisas boas. O jeito agora é esperar os outros dois grandes nomes do ano: "Homem de Aço" e "Star Trek" para ver se vão decepcionar também ou vamos sair felizes com tudo que estamos esperando deles. Fico por aqui hoje e seria apenas essa a estreia aqui no blog dessa semana, mas como irei viajar, na outra cidade aonde vou está passando mais dois filmes que não conferi, então amanhã temos mais textos por aqui. Abraços e já estou esperando por muita discórdia nos comentários, afinal como minha opinião em longas de heróis não costuma bater com uma maioria, já fico preparado para muitas conversas aqui.


6 comentários:

Wellington J. Franke Jr. disse...

Sai do cinema com a mesma cara de WTF que suponho ter feito o mesmo...

No cinema recém inaugurado há seis meses (e que deveria ser iMax, mas até agora o sistema ainda não foi instalado) onde fui assistir, presenciei um momento "facepalm". Ingresso pago, legendado só em 3d (vinte e dois paus, mais 55 centavos de ECAD - que só vai para os bolsos deles mesmos), algum "estagiário" projetou o filme DUBLADO na sessão, assistimos os primeiros 15 minutos do filme, dublado até as pessoas sairem das salas para reclamar da mancada.

Fernando Coelho disse...

Olá Wellington, estou até vendo sua cara que com certeza deve ter sido até pior que a minha por ter tido todo esse momento "facepalm" que vivenciou, aqui de vez enquando acontece também essas barbaridades, no dia do "Oblivion" começou a passar "GI Joe" e eu tive de sair correndo pra brigar. A minha sorte que ainda consigo desconto dos cartões de crédito por aqui, senão também ainda estaria nesse sofrimento de pagar essa fortuna toda por um filme que esperava muito e só foi isso. Abraços e vamos torcer pras próximas grandes esperas do ano não nos decepcionar e arrumarem aí pra você poder conferir o Imax.

J.G. disse...

A gente assistiu o mesmo filme, cara?
Não tô dizendo que é excelente nem melhor que os anteriores, assim como você também disse que ele não é assim tão ruim, mas poxa...
Concordo que a direção ficou perdida na grandiosidade geral do filme, concordo sobre o 3D e a trilha sonora, mas o resto não captei nada semelhante ao que você escreveu.
Achei genial a reviravolta do vilão, inesperado e emocionante, só não mais emocionante que o envolvimento pessoal do Stark com o mundo externo e principalmente com o garotinho, o desvio justamente das armaduras (por mais irônico que pareça, já que esse filme tem 40 delas) e da ação que marcaram os primeiros filmes foi um enriquecimento na minha opinião. Principalmente depois dos Vingadores e dos outros filmes de heróis cheios de pancadaria, acho incrível podermos contar com essas ótimas sacadas (e dos improvisos do Downey Jr).
Sem contar o que você disse sobre a (falta de) personalidade da Pepper, que ao meu ver foi bem desenvolvida desde o primeiro filme como um belo contraponto de equilíbrio ao Stark.

Bom, faço minhas observações apenas como expectador dos filmes e entusiasta de heróis. Realmente não conheço os quadrinhos, mas se tem uma coisa que aprendi sobre adaptações é que devemos apreciá-las pelo que elas são separadamente. E nisso a série Homem de Ferro é a mais satisfatória desde X-men.

Fernando Coelho disse...

Olá J.G. Como eu disse, esse vai ser o filme com mais contrapontos que estou vendo na internet e por aqui também, está tendo os que vão amar e os que odiaram. Também prefiro adaptações não bem fiéis aos quadrinhos, mas esperava muito mais do vilão Mandarim. Mas como disse foi minha opinião, e assim teremos várias diferentes, então é a vida. Abraços.

Adilson disse...

Ola Fernando. Sou um fã de historias em quadrinhos e devoro tudo da Marvel, mas sei também que a maioria ou todos os filmes desse gênero, nunca são fiéis aos quadrinhos, mas isso não me incomoda, eu aprendi a ver como algo separado como se fosse parte de um outro universo. Gostei muito do filme, confesso que no começo tb me deu um pouco de sono, mas depois que da cena do ataque da casa do Stark, o filme melhora muito! Gostei da trama tb, achei que foi a melhor dos três, enfim é apenas a minha opinião. Abraço!

Fernando Coelho disse...

Olá Adilson, eu esperava muito mais dele... preciso desligar essas minhas expectativas, mas é algo meu que infelizmente anda dando errado em alguns filmes. Mas o mais gozado desse filme é que não estamos tendo meio termos nas opiniões espalhadas pela internet e fora pelo que converso com amigos, ou amam ou detestam, ainda que eu fiquei no meio, mas como disse, somente por esperar muito dele, se fosse ver sem expectativas talvez tivesse gostado até mais como aconteceu com o segundo filme que adorei por chegar cru no cinema. Abraços.

Postar um comentário

Obrigado por comentar em meu site... desde já agradeço por ler minhas críticas...