Millennium - Os Homens Que Não Amavam As Mulheres

1/24/2012 07:28:00 PM |

Nunca fui adepto de refilmagens, principalmente quando o filme original foi lançado a menos de 2 anos, mas claro fui conferir "Millennium - Os Homens Que Não Amavam As Mulheres", novo trabalho do diretor David Fincher que adaptou o livro de Stieg Larsson agora com extrema minúcia, colocando muitas coisas que na versão sueca não foi colocado, não que não goste da sueca muito pelo contrário, quando assisti adorei, mas agora o longa tem mais dinâmica e mesmo sendo longuíssimo(com trailers você dispensará aproximadamente 3 horas dentro da sala do cinema), o filme não cansa e passa voando.

A história nos mostra Mikael Blomkvist, um jornalista econômico determinado a restaurar sua honra, depois de ser condenado na justiça por difamação. Contratado por um dos industriais mais ricos da Suécia, Henrik Vanger, para investigar o desaparecimento de sua sobrinha Harriet, há 36 anos, ele se muda para uma ilha remota na costa gelada da Suécia sem saber o que o aguarda. Ao mesmo tempo, Lisbeth Salander, hacker da Milton Security, é contratada para levantar a ficha e os antecedentes de Blomkvist, missão que será o ponto de partida para que ela se una a Mikael na investigação de quem matou Harriet.

A direção de Fincher manteve o mesmo ar investigativo do sueco, mas sua dinamicidade tradicional que já vimos em todos os seus filmes é nata ao ponto de certas cenas que no miolo do original cansavam e chegavam a dar sono, nessa nova versão está inexistente, pois o diretor soube dosar e colocar novos elementos, que creio eu, devem estar presentes no livro, que ainda não li, mas já está nos próximos para ficar preparado para as continuações. Quanto aos planos escolhidos poderia ter incrementado um pouco mais, mas não decepciona ao manter o tradicional, deixando o longa mais puxado para o clássico ao invés de ir para o lado blockbuster.

As atuações estão ótimas, tanto que Rooney Mara ganhou hoje já uma indicação ao Oscar de Melhor Atriz, claro que muitos irão atacar dizendo preferir a versão de Noomi Rapace de Lisbeth Salander, por estarem falando ser mais próximo da versão do livro, mas pensando no formato ficção e analisando a forma técnica da atuação de Rooney prefiro a versão americana. Daniel Craig nem pareceu ser o 007 visto a forma investigativa mais jornalistica e menos pancadaria, agradou bem sua atuação de Mikael. Os demais atores todos estão muito bem em cena, sem nenhuma decepção, só não posso dar detalhes de cada um senão entupiria o texto de spoilers.

A fotografia gélida da Suécia chega a dar frio na sala de cinema e com isso claro garantiu também uma indicação ao Oscar, e claro méritos também ao pessoal da arte ao escolher as locações perfeitas para rodar o longa, preferindo ir para campo ao invés de se prender em estúdios. Todos figurinos e elementos de cena estão sempre bem presentes e condizentes com a história não fugindo do tema original, e com isso a forma que tudo é mostrado acredito que vá agradar em cheio os leitores do livro que adoram detalhes.

A trilha sonora escolhida sempre envolvida com a trama agrada e em alguns momentos até chega a ser engraçado os temas escolhidos para a cena, mas sempre mantendo o clima tenso que a trama propõe consegue segurar o público preso aos acontecimentos sem destoar.

Enfim, é um longa pesado que o diretor não pensou em momento algum amenizar, tanto que lá fora saiu com  classificação 18 anos e aqui saiu como 16 anos, mas tudo que aparece na tela é bem forte, então caso não seja seu estilo ver cenas de sexo violento e evidências criminais(corpos e afins) evite, pois pode se incomodar com o longa, do contrário sairá vibrando do cinema com um longa bem atuado e dirigido. Como veio para pré-estréia para a imprensa acredito que a Sony vai distribuir bem o filme por todo Brasil a partir da próxima sexta 27, então confira. Encerro a semana cinematográfica aqui, mas sexta tem mais por aqui. Abraços.




3 comentários:

Vitor disse...

Tô querendo muito assistir!
David Fincher é meu diretor favorito, e sua crítica me deixou mais animado ainda!

No cinema da minha cidade não vai entrar em cartaz nessa sexta, então acho que vou ter que baixar mesmo :(

Crítica ótima, parabéns!
Abs.

Fernando Coelho disse...

Olá Vitor, nossa que triste não estrear aí, pois o filme vale a pena mesmo ver no cinema, tem ótima estrutura de som(tanto que também foi indicado nesse quesito ao Oscar). Obrigado por gostar e voltar sempre. Abraços e assim que assistir comente.

Eduardo Fernando disse...

Eu acho que fui o unico que não gostou desse filme!
Eu achei o filme muito superestimado, pesado e denso, o sueco ainda é melhor.

Postar um comentário

Obrigado por comentar em meu site... desde já agradeço por ler minhas críticas...